segunda-feira, 23 de abril de 2012

III Etapa do Campeonato Catarinense de Triathlon

Eu jurava que o dia ia ser animal, mas pela primeira vez tive de abandonar uma prova... e por causa de uma merda (literalmente). Não é sempre que o nosso intestino está nos melhores dias, e ontem ele tava muito ativo, hehehe!

Tomei dois Imosec (não recomendo) antes da largada, porque minha barriga já não tava das melhores nos dias anteriores, e ainda assim não segurou! Abandonei a prova na primeira volta da corrida diante de uma verdadeira catástrofe que iria acontecer, hehe!

Mas, nem tudo foi ruim. Eu vinha fazendo uma prova boa! Fiz uma natação como eu deveria fazer, apesar de não ter me sentido bem durante essa etapa. Apesar disso, saí junto das mesmas pessoas que saio normalmente, então acredito que era só um mal estar mesmo. O percurso era fácil, com duas voltas de um pouco mais de 1000m. Pra variar, o Chicão abriu uma boiada na nossa frente, mas eu estava próximo do segundo colocado e como a prova era sem vácuo eu sabia que podia tirar a diferença ali. Dito e feito.

Um dia com muito vento, percurso duro, com 7 voltas para totalizar teóricos 60km (que deram 53km no fim das contas). Entreguei a bike em 5o. geral. Saíram comigo da água o Manente, o Felipinho e o Ivan Razeira. Não consegui ir junto com o Manente, mas passei o Felipinho e o Ivan antes da metade da primeira volta. O problema é que atrás da gente vinham ciclistas muito fortes, como o meu técnico Roberto Lemos, meu amigo Daniel Meyer e o Rodrigo Baltazar. Consegui tirar a diferença de quem saiu na frente da água, mas o Roberto e o Baltazar encostaram em mim ( e seguimos juntos até o final da etapa do ciclismo ), e o Daniel Meyer nos despachou, fazendo um ciclismo pra lá de respeitável.

Fiz a transição mais rápida que o Roberto e o Baltazar e entrei na frente também, o que me deixou numa posição confortável pra correr os teóricos 15km (que também não fechou a distãncia correta). Passei o Baltazar na primeira reta de corrida e comecei a abrir dos dois. Estava em 4o geral, com o Manente a frente (não conseguiria pegar), mas o Daniel numa distância que era viável. Eu estava me sentindo muito bem pra correr... mas o meu estomago foi começando a mexer, mexer, mexer... até que foi inevitável a parada. E dali não consegui mais continuar. Abandonei a prova com a 4a colocação geral. Triste? Sim. Mas fiz o que eu poderia fazer.

Muitos pontos bons nessa prova em relação ao ciclismo. Melhorou muito a minha auto-estima em provas sem vácuo, pois, desde que havia trocado de bike (de uma Cervelo P2C por uma Cervelo S2, que é aero-road), não vinha conseguindo render como rendia antigamente, apesar de achar que a bike teoricamente me permitiria isso. Fiz alguns ciclismos ruins (no Internacional de Santos foi um deles), escutei de alguns amigos que meu ciclismo tinha caído muito desde que troquei de bike... mas lá pra meados de março a coisa começou a se reverter. Consegui começar a fazer força em cima dessa bike em contra-relógios... a render em TTs como rendia com a P2C. Há tres semanas refiz o meu teste de FTP e os números de potência foram bastante animadores, então eu sabia que estava pedalando bem. E foi o que aconteceu nessa prova... acho que o karma da bike foi derrubado.

Agora é focar na recuperação da minha pubalgia (lesão que vem me acompanhando desde janeiro), com as próximas 4 semanas de muito pouco treino de corrida e de muita fisioterapia, melhoria da minha natação e do meu ciclismo e perder mais um pouco de peso! Só vou competir provavelmente em julho. Veio em boa hora.

Fiquem bem e parabéns aos 5 primeiros colocados - Chicão, Manente, Daniel Meyer, Roberto Lemos e Fabio Branco.

PS: Bebe! Desculpa por te fazer acordar as 5h15 da manhã pra me ver parar. Espero que eu não tenha decepcionado e você e todas as outras pessoas que estavam lá torcendo por mim, porque fiz o melhor que eu podia (estava me sentindo mal durante a prova inteira)!! Dias melhores virão com certeza!




Grande abraço!!

domingo, 15 de abril de 2012

Revezamento Volta a Ilha 2012

Essa foi com certeza umas das experiências mais malucas da minha vida...

Eu acho que todo atleta de esporte individual tinha que passar pelo menos uma vez por uma experiência em equipe para rever um pouco os valores. Trocar um pouco de ambiente (e aí eu incluo as minhas percepções sobre esse outro ambiente em relação ao ambiente competitivo do triathlon) também faz um bem danado.


O dia começou as 5h15 da manhã, com o meu despertador tocando, para eu poder me ajeitar e estar no ponto de encontro às 6h15, como havia sido previamente definido. Lá, pude encontrar todo o restante da equipe - eu, Bruno Boppré (1h15 na Meia de Florianópolis e nãoseioquevaiaprontar no IM Brasil 2012), João Neto, Felipe Riccio, Amilton Schimidt, Cacá (campeã dos 10k feminino da Meia de Floripa), Diego (saltador em altura da FME), Juan (arremessador da FME), Cláudio (direção da FME), Jeferson (o cara tem 5km abaixo de 3'00/km de média) e o nosso dirigente/manager/coach/professor da faculdade Gilberto Vaz. Lá estavam também o pessoal que faria staff pra gente, que foram essenciais e muito parceiros - Volnei (motorista do ônibus), os dois motoqueiros da Amaury Motors que foram essenciais, nosso fotográfo que registrou todos os momentos e o Andrei que cuidou da fisioterapia. A estrutura foi um episódio a parte. Em nosso ônibus tínhamos à disposição muita água, isotônicos, barras de proteína, géis, chocolate, biscoitos, frutas, sanduíches; um fisioterapeuta; dois motoqueiros, que com certeza foi o diferencial para a distribuição dos atletas nos postos de troca que fizeram com certeza a melhor logística que poderíamos ter feito; e um fotográfo que registrou tudo e que vai fornecer as imagens que vocês vão curtir!

Eu acredito que a prova teve muitos pontos altos, e a corrida contra o relógio com certeza motivou todos os atletas. Mas, o que dava pra perceber, era um espírito de equipe muito grande, o que fez com que cada atleta se entregasse ao máximo em cada trecho. Inicialmente, eu estava programado para correr os trechos 2 e 12 - o trecho 2 começa no bairro João Paulo e termina na SC-401 a caminho de Jurerê Internacional, e tem 5km; o trecho 12 começa na praia da Barra e termina na praia da Joaquina, todo de asfalto também, mas com dois íngremes morros - os morros da Praia Mole e da Barra. Ali, no percurso 12, eu pude ver o quanto me doei para a equipe. Fiz um dos maiores esforços que já consegui imprimir em qualquer situação competitiva na minha vida, e completei o trecho de 8,4km em 31min (abaixo de 4min/km, que depois eu fui saber que é uma marca forte para aquele percurso, pois os morros são muito íngremes - só eu subi correndo no momento em que eu tava correndo), e o percurso de 5km fechei em 16'50 (o percurso também oscilava, com subidas e descidas, e tive que botar muita força pra fazer isso). Até então minha missão terminava aí, mas um imprevisto aconteceu...

Nosso arremessador havia torcido o tornozelo dias antes, o que fez com que ele conseguisse correr somente um dos dois trechos que estava programado para ele, e alguém teria que cobrir o trecho dele, que era o penúltimo, todo plano, de asfalto, e de 7,4km, para entregar para o Jeferson fechar. Acabou que eu fiz esse trecho, e me lembro de ver a passagem dos 5km em 18'45. Naquela altura do campeonato, fiquei extremamente feliz em conseguir passar os 5km com esse tempo e sabia que estava fazendo um bom trabalho para equipe.

O Bruno correu o trecho do Sertão em 1h04, que é o trecho mais difícil da prova. Isso foi realmente fantástico e nos deu um adianto muito grande!

Daí, ficou o frio na barriga para sabermos o resultado que só saíria hoje, e era impossível controlar as posições porque são vários horários de largada.

Equipe FME Florianópolis Campeã das categorias de participação do Revezamento Volta a Ilha 2012.


Sem mais! Muita vontade de fazer no ano que vem! Mas muita mesmo!

PARABENS MEU POVO!

quarta-feira, 11 de abril de 2012

O buraco é bem mais embaixo...

É meu povo... O buraco é bem mais embaixo. Primeiro, o Javier Gomez, fazendo 6x100m a cada 1min45 para 1min01 NA LONGA, com 400m solto após e mais 6x50 começando em 27s (NA LONGA). Quando eu escuto o técnico dele falando - "sessienta y uno...". Ai ai ai..
 


Depois, o Mario Mola com 2:31 num tiro de 1km...




Será que tá fácil o negócio?? Será que vamo ter que trabalhar um bocado??

No mais, dia puxado hoje. Piscina pela manhã, pista no começo da tarde com 5x1600m #hojeédiadepista com o meu Asics que eu comprei com meu dinheiro mesmo hahaha e dona Carolina de bike junto comigo :)) e depois um pedal começando as 16h50 no duro percurso da Pedra Branca. Tá complicado ficar fazendo essas subidas com os cachorros atacando enquanto tu sobe a 9kph. Haja habilidade!


domingo, 8 de abril de 2012

Que vibe!

O feriado de páscoa foi muito legal!


Grupo inteiro reunido, pessoas respirando triathlon, momentos maravilhosos com minha namorada e a consciência de que faço porque amo!

Na sexta-feira, rolou um treino junto com o pessoal que vai fazer o IM Brasil lá no percurso da prova, com as subidas e descidas. Eu fiz meu longo de 22km junto com o Palhares, num pace justo e sólido. Particularmente, sinto muito a necessidade de fazer rodagens acima de 18km pra correr bem os 10k, mas isso é muito pessoal. O treino começou às 7h30, mas antes disso eu tava acompanhando minha namorada no seu treino, das 7h00 as 7h25. Fui de bike com ela... ela adora quando eu vou, e eu adoro poder fazer isso por ela. Ficamos conversando, e a manhã tava fria. Antes das 9h00, já estávamos com o treino finalizado e reidratando. Importante, porque as 11h50 caí no mar para 3km de águas abertas... cruzei com o chefe Lemos no meio do percurso. De tarde, ainda teria 50km de bike, mas capotei e só levantei as 17h00, daí já tava muito escuro e só nos restou irmos passear com o nosso xodó, um filhotinho vira-lata que a mãe dela adotou e eu coloquei o nome de Juju, e a Branquinha, que já é mais crescidinha mas também é uma querida!

No sábado, fiz 1h de pedal junto com a Carol, pra me recuperar e também para acompanhá-la! Capotei de novo, e quando acordei, fui para 15km progressivo a cada 5km, finalizando com exatas 1h01. Pace sólido também e treino variado, me senti muito bem.

Daí hoje... treino muuuito legal, com a galera toda reunida, um treino muito variado que eu gosto muito, onde faço com potência livre e na dinâmica do pelotão. Foram 95km com um pouco de tudo. VO2 e limiar nas subidas, sweetspot (zona abaixo do limiar mas sólida) no plano, fugas e ataques, e muita conversa. Como de costume, ouvi muitas histórias do chefe... algumas novas, outras já pela milésima vez. O treino começou com uma breve reflexão acerca da eficácia dos grills George Foreman, e do Rocket Juicer Walita, aquele que o cara coloca o abacaxi inteiro, com casca e tudo, e sai um suco perfeito! Segundo o Roberto, ele prefere gastar um tempo descascando a fruta do que limpando cada parte, hehehehe. E o George Foreman deixa a torrada pronta em 1min, hahaha. Daí acabou o tempo pra conversa, que foi só no aquecimento, e depois no final do treino refleti um pouco acerca de armamentos, tiros de precisão e forças armadas com o Giácomo, italiano marido da Cris que trabalha no Afeganistão, e que pedala pra cacete!! O cara é do grupo de elite do exército italiano e fica acampado 6 meses todo ano por lá, e os outros 6 meses ele fica aqui e na Itália. É sempre uma festa quando ele tá, porque o cara é muuuuuuuuito gente fina!! Tomara que ele abandone a carreira militar e venha morar aqui, hahaha! A parte ruim do treino ficou por conta do tombo do Pedrão (Pedro Falk), que não viu um buraco e teve de tomar uns pontinhos no braço, mas dizendo ele, já está pronto pra correr amanhã.

video


Ah!! A parte mais legal e amorosa do feriado - minha tuelinha foi muito generosa nessa páscoa! Ganhei um Serenata de Amor, um Opereta e um Sonho de Valsa!! Que perfeição ehin, anjo??

Não poderia ter sido melhor... na companhia dessa linda (que sempre estamos juntos), na companhia dos meus amigos maravilhosos e do meu treinador e tendo a certeza que amo o que eu faço. Tive espaço pra refletir sobre algumas coisas também que venho errando nos meus treinos (principalmente na minha aproximação nas provas, chegando quase sempre cansado), e criar consciência de ter uma conduta diferente nesses momentos, afinal, treino é treino, prova e prova, e saber a hora certa de tirar o pé, além de ser extremamente pessoal, é fundamental, porque o desempenho máximo tem de ser atingido nas provas, e não nso treinos! É sempre questão de ajuste...

No mais, vamos mexer no TCC agora, porque ainda tem muito trabalho pela frente!

Se cuidem!

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Aprimoramento

Vem muito chocolate por aí !

Mas tem que vir muito trabalho também... O Roberto tem algumas coisas programadas pro feriadão...

Mas, que coisa legal tem sido esses treinos em grupo. O nível da equipe deu uma aumentada, e os treinos de natação e corrida estão ficando cada vez mais legais. Hoje fiz uma série de corrida muito boa (4x2km com 2min de intervalo) na companhia do meu amigo Esquilo Tranquilo (vulgo Rodrigo Miranda, 3h05 maratona no IM Brasil e 2h40 e alguma coisa em maratona solo)... foi um bom trabalho, com natação na sequência e pedal de tarde. Esse pedal no percurso que o chefe mandou eu fazer tem sido muito legal. Pedalar lá nos morros da Pedra Branca, pelo meio das casas, com tranquilidade de tarde (o que é dificil em quase todos os lugares) chega a ser até um privilégio. Tem subidas e descidas bem duras e técnicas ali... um circuito perfeito pra treinar pilotagem, controle e um pouco de potência também. Mas, não sai nada muito forte de pedal na quarta-feira não... dia de pista é meio complicado!

Vê se dá pra sacar um pouquinho aí do percurso:





Mas, acho que o que mais me chamou atenção no dia de hoje é como a cada dia que passa, vejo o quanto meu ceticismo em tempos anteriores foi uma grande besteira na minha vida. Sempre fui muito pragmático, cético, segmentar... cada dia, a vida tem me mostrado o quão holística e integrada ela é... o quanto a visão globalizada das coisas que antes eu enxergava setorizada, faz sentido. Como eu pude enxergar, em outros momentos da minha vida, os problemas, as dores, as incertezas, as angústias, de forma isolada e segmentada? Como eu posso imaginar uma perna sendo somente uma perna, e não parte de um corpo inteiro?

Vou mais além... e a interação entre corpo e alma. Vocês acham que são duas coisas separadas, uma coisa só? Você é sereno o suficiente pra lidar com os problemas do teu dia a dia?


Estou tratando uma lesão com meu fisioterapeuta Luiz Eduardo Monteiro, da Clínica Nura, há quase dois meses com gelo, ultrassom e alongamento no local da lesão, e nada de passar. Óbvio que o prognóstico é mais demorado, já que estou tratando e treinando... decidimos partir para a osteopatia, através do Dr. Alceu, que atende na clínica dele, e a osteopatia preza pela visão globalizada do corpo e não trata apenas o local da lesão. As mãos desse cara tão fazendo mágica, e, mesmo pensando fisiologicamente, muitas lesões acontecem por problemas muitas vezes distantes do local da dor, e o corpo humano é um só. Na vida é assim também... na nossa mente é assim também... no nosso temperamento, no nosso humor. Sei que estou numa fase onde vou passar por uma grande transformação espiritual e de personalidade... estou revendo muitos conceitos e evoluir sempre é o melhor caminho. Na própria performance esportiva, todo mundo já tá careca de saber que não é só o preparo físico do atleta que é se torna responsável pelos resultados.

Aprimoramento... sempre... físico e mental...

domingo, 1 de abril de 2012

5o colocado geral age group Campeonato Brasileiro de Standard

Fala galera!!!

Tenho boas notícias! Ontem a prova foi dura, mas foi dura pra todos! Consegui a 5a colocação geral na prova das categorias, o que foi um resultado onde fiquei satisfeito. Me senti um pouco fraco ao final da corrida e quebrado, já correndo a 4min/km, mas acredito que foi assim pra todo mundo, devido à alta temperatura e umidade nessa etapa. Apenas 5 corridas no amador foram abaixo de 40min (sendo uma delas a minha), e na elite muita gente correndo acima de 40min também. Mar mexido, correnteza, percurso de ciclismo muito técnico...

Fim de semana cheio de provas. No Brasil, Panamerican Cup em João Pessoa e GP Extreme (Cirão 3o. no short ontem, hoje ainda não sei os resultados) em São Carlos. Fora do país, o Igor Amorelli foi 13o. no 70.3 Oceanside, Mauro Cavanha 21o, e o 70.3 Texas (campeonato americano de meio iron) rolou, com Lance Armstrong em 7o. Fds agitado!!

Quanto ao percurso, acredito que isto é uma nova tendência nas provas com vácuo, valorizando um pouco mais a etapa do ciclismo que nos percursos planos e fáceis acaba sendo apenas uma etapa de transição entre a natação e a corrida. O Colucci construiu a vitória dele no ciclismo...

Retornei pra Florianópolis ontem mesmo. Cheguei em casa às 22h30, montei a bike, limpei, desfiz às malas e 5h45 o despertador já tocava hoje. 90km de pedal junto com o chefe Lemos e a galera da equipe que vai fazer o Iron. A vantagem de competir no sábado é essa, dá pra fechar o final de semana sem perder a estrutura de treino.

Enfim, me senti satisfeito, mas repeti o que aconteceu nas últimas 3 provas - me senti fraco, sem potência e sem largada na natação. Isto pode ser reflexo de muitas coisas (dentre elas, excesso de treino), mas estamos atentos à isso e prontos pra corrigir!

Fiz um polimento bom durante essa semana, o que me retornou a capacidade de treinar mais forte agora... na sequência vem daqui a 3 semanas a III Etapa do Catarinense, uma prova sem vácuo nas distâncias 2km/60km/15km. Com certeza, um bom desafio e uma prova muito legal, que ano passado o meu amigo Edmilson Pereira levou o troféu pra casa!!

Agradeço o apoio de todo mundo e a torcida. Foi muito legal conhecer João Pessoa e agora é foco nas próximas provas!!


Grande abraço a todos!